Thursday, April 26, 2007

Autismo.

...eu sairia agora. Pois ainda chove. Eu costumo andar pelas ruas com árvores frondosas daqui, são muitas, elas pendem e se deitam até o asfalto, há ruas em que elas encostam-se ao chão. É bom, é ótimo, faz bem. Eu gosto. Gosto de amenidades, doçura, não há como compartilhar com ninguém, então me lanço ao meu "eu" autista.

Autismo: estado mental causado pela absorção em devaneios subjetivos e alheamento do mundo exterior.
Isso é tão necessário às vezes.

Monday, April 23, 2007

...Ela ouviria pouco de mim. Sou mais e mais sonho do que homem.
Imutável é a essência que me faz-fez assim.

Saturday, April 21, 2007

Esse show é sublime, como a maioria entre os anos de 89 e 90.

Dizem as boas e más línguas que o Cure vêm ao Brasil no segundo semestre.
Que assim seja!


Thursday, April 19, 2007

Nada sei, nada quero dizer em especial, não sei se
faço poesia ou falácia, só sei, eu, que despejo tudo
nessas palavras, sem restrisções...de tempo, hora e
momento.


Dependeria talvez, de eu, você e uma calçada; ou
meio-fio, essas respostas sempre se escondem nos
olhos...Isso aqui não nos possibilita olhos nos olhos, então,
tudo pode ser apenas reticências...


...é apenas distância física,pode ser superada, têm
muitas calçadas ai, eu sei, meio-fio, sente-se, e
olha o andar das formigas, as mesmisses para muitos
(leia-se a massa)é o nosso refúgio e saída. eu saio
com você...sento contigo, não será preciso falar
nada, como um casamento Quaquer, onde os olhos se
casam primeiro.
Contrariando o querido Fernando Pessoa:Como todo "mal" poeta nada de fingidor eu tenho, minhas palavras são denuncias, minhas confissões, à ninguém...

Eu.

Sunday, April 15, 2007

"Tristeza e Felicidade"
Ambigüidade que nos alimenta.

=(
+)


Meu céu com nuvens de algodão.
Agora o meu e o dela, o nosso céu!

Thursday, April 12, 2007

CAMINHANDO POR DENTRE BRUMAS

Andando por caminhos nunca percorridos

O sol a se por,olhando para traz vejo os ciprestes já esmaecidos pelo tempo algoz

Espalhando suas sombras

A cada batida de coração

E pulsar de alma

Fica mais distante,compasso solusivo lembro-me dela com sua beleza ebúrnea brumas se intensificam ao cravar de mais um final de dia......

Espalham sua atmosfera amorosa sobre a relva sadia

A noite já estrelada

Denuncia visões ofuscadas

De um semblante de outrora

Adoro a noite escura

Tão cheia de aventuras

Ah!!!! Como queria estar entre seus doces lábios

A observar suas pálpebras escuras

Com celhas

Envolto ao celífero

Penso em minha poesia passada onde nela consiste

Meus sonhos vagam no infinito

De um dia ainda não descrito

Ponho a lembrar-me de uma nudez diante da qual via-me murmurante decompondo-se em ternura e embriagues maternal alento o pó da infância

Já rachada onde jamais imaginava ter-te ......

Com o dia já em estado rubro

Exercito meus sentimentos em sonhos e quimeras infindáveis

Coberta por mutualidade futura

Sonho com ela pois sonhas comigo

Debruço-me em sensações nebulosas

Onde estávamos aprisionados em total transcendência afetiva dedicando-me avidamente em Prezar-te

Com plena devoção que sinto em meu coração.

Lucas (04/2007)

Tuesday, April 03, 2007

Meu "ovo" de Páscoa é um quadrado retangular na horizontal em forma retilínea.


...Continuarei achando que a cor natural dos olhos do céu sempre será azul. Mesmo depois de todas as tempestades, de todas. Tenho em mim o poder da "transformação"... nem todas as cores são reais, criemos as nossas.
Próprias.