Sunday, October 26, 2008

Toca-me

Toca-me de leve.
Sem medo, depois, como fazem os pássaros que voam de árvores imensas, volta em revoada e leva-me contigo.
Leva-me e não traz de volta.

Eu.

Wednesday, October 08, 2008

Anacrônico

Apenas escrevo sentimentalidades as quais não passam por mim sem antes serem "denunciadas" em papel branco.
Adoro a subjetividade sentimental, o apreço por detalhes cotidianos, amenidades."
Sou um Vitoriano anacrônico .
"Anacronismo" esse que me deixa forte, por saber que a poesia liberta"

Eu.

Saturday, October 04, 2008

"Poetar"

Questiona-me o que mais imponente tenho em mim?
Por vezes o mais forte e áspero que tenho em mim é a "demência" e devaneio.
Desses Poetas de esquina que sentam-se no meio fio e diluem suas sentimentalidades à despeito de tudo, da dor, amor, morte, medo, felicidade, as cores do céu, da noite, da raiva, desse paradoxo que é viver, sentir...


Eu.