Friday, August 17, 2012

"Velha novidade"

Não há mais nada de "novo" no novo, pois, tudo não passa de uma recriação "nova" do velho. Ele.

Metafórico

Dessa tarde senil, só tenho ardume. Esfola o peito; lembrança rachada. Decrépito dia fugaz. De verniz o sonho virou anil. Transpassa o vento sobre os cabelos de areia. Mar remoto remonta, seme (ia). Atropela paixão, esvazia-se, em vão! Tardio sangue azulado foi (ce. Ao vento inebriado. Grito calado, brota tempero, esconde-se no avesso febril? Templários da solidão, solidificação. Ele.