Wednesday, April 22, 2015

Branco dos olhos

   

Quando a noite se estende como pluma celestial em chão de giz; os olhos atravessam o céu. 

Em montanhas debruçadas ele descobre formas: Olhos, lábios, pálpebras...

Cravou-se no varal das incertezas.

Debruçou-se em línguas infalíveis.

Denunciado foi no branco dos olhos.

No comments: